segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Guerrilha do Araguaia "A poupança da revolução"


O  post  sobre a Guerrilha do Araguaia mostra o bônus vendido pelo PCdoB para angariar fundos para a revolução.

Por não realizar, por questões doutrinárias, as rendosas ações de “expropriação” nas cidades – eufemismo da esquerda para os assaltos e roubos que objetivavam arrecadar fundos para a luta armada – o PCdoB tinha poucos recursos. Assim, no início da década de 1970, surgiu a idéia de arrecadar fundos para a Guerrilha do Araguaia por meio de “empréstimos” de simpatizantes.
Entre outubro de 1972 e outubro de 1973, período em que o Exército fez uma pausa nos combates contra a Guerrilha do Araguaia, o PCdoB lançou na região o “Bônus da Revolução”. O papel era assinado pelos “comandantes” Joaquim e Paulo (respectivamente, Ângelo Arroyo e Paulo Mendes Rodrigues) e tinha uma chancela pomposa: “Forças Guerrilheiras do Araguaia”, a Foguera (nessa época, restavam menos de 60 insurretos vivos). Cada bônus era vendido por 20 cruzeiros. Vinha com a promessa de que a quantia seria devolvida, com juros e correção monetária, após “a vitória” (leia-se, a derrubada da ditadura militar e a implantação de um “governo popular revolucionário”, ou seja, uma ditadura comunista).
Quem comprou o bônus em janeiro de 1973 teria direito hoje a aproximadamente R$ 250. Teria se a “vitória” tivesse vingado.

2 comentários:

Brasileiro disse...

Oi Ellen Christien, me interesso muito pelo tema da Guerrilha do Araguaia e sou um pesquisador-amador do tema, tendo colecionado todo o tipo de material relacionado a ele. Visite meu blog, publiquei uma carta inédita da guerrilheira Telma Regina Cordeiro. Se quiser publicar no seu blog, fique à vontade, desde que dê os créditos devidos. Um abração e parabéns pela iniciativa!

Anônimo disse...

Considerando as "INDENIZAÇÕES" pagas pelo contribuinte brasileiro parece que foi o maior investimento na história.
Nem em seus melhores George Soros poderia prever tamanho ganho.
Parabéns aos investidores da Guerrilha do Araguaia, o povo cubano deve estar morrendo de inveja.
É evidente que considerando a democracia que o PCdoB defendia, e defende, o presente comentário não será publicado.